Fotos : ASPAFF EM AÇÃO

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Brigada de Incêndio - Uma necessidade Urgente

Serra do Cruzeiro em Chamas Após 03 dias

Dentre os vários agentes que afetam os recursos da flora, o fogo parece ser a maior calamidade. A vegetação está constantemente exposta à ocorrência de incêndios de diferentes intensidades, que a cada dia se agravam devido ao aumento da população, o acúmulo de materiais combustíveis, a exemplo do lixo, e principalmente pela maior incidência de causas humanas, consistindo-se nos incêndios.

Apesar da importância deste assunto, em Jacobina-BA pouco se fez para combater tais danos. A inexistência de uma Brigada de Incêndio, seja Ela Municipal ou Territorial, consolida-se uma das principais evidências do descaso das nossas administrações, valendo ainda ressaltar a inoperância dos órgãos ambientais e a impunidade dos crimes de tal origem.

A ASPAFF CHAPADA NORTE clama o apoio da Sociedade Jacobinense para uma discussão mais ampla a respeito da criação da Brigada de Incêndio, sensibilizando a todos para que comentem no blog, dando sugestões, que brevemente serão sistematizadas e encaminhadas ao executivo e legislativo do município para as devidas providências.

JACOBINA PEDE SOCORRO...

3 comentários:

  1. Paulo Henrique Muricy Nunes Junior21 de setembro de 2011 20:36

    Acho que a Yamana Gold, através do Seminário de Parcerias, poderia disponibilizar uma verba de R$ 60.000,00/ano, especificamente para a Brigada de Incêndio.
    A PMJ deveria disponibilizar um percentual de 5% do CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais), ou seja, aproximadamente R$ 70.000,00/ano, só com os recursos pagos pela Yamana Gold.
    Considerando uma Brigada com 15 brigadistas com salário de R$ 600,00/mês + 20% INSS, totalizaria R$ 720,00/mês x 15 brigadistas = R$ 10.800,00/mês x 12 meses = 129.600,00/ano.
    Estes brigadistas seriam treinados pelo Governo da Bahia e Governo federal, através do PrevFogo.
    Durante o tempo ocioso estes membros trabalhariam com educação ambiental em escolas, comunidades e comércio.

    ResponderExcluir
  2. Paulo Henrique Muricy Nunes Júnior22 de setembro de 2011 21:11

    Mais uma sugestão
    Caso o incêndio seja em proporções alarmantes, poderia ser criado dentro da PAM um grupamento ambiental, capacitado também para este fim, que seriam remunerados com hora extra caso sejam solicitados. Resta agora saber se o governo do Estado ainda disponibiliza recursos para tal fim.

    ResponderExcluir
  3. Acho super válida à sugestão de Paulo Henique, porém gostaria de atentar para um dos maiores fatores desses acontecimentos, a falta de educação ambiental.
    Como sugestão,além da Brigada de Incêndio seria necessário exigir dos administradores da cidade, uma atenção especial para a questão do lixo, nossa cidade dispõe de poucos requisitos básicos para descartes de lixo, o que é de extrema importância,existindo maior distribuição de lixeiras, containers, tunéis e até mesmo coleta seletiva,reduziríamos em grandes proporções esses impactos causados exclusivamente pelo descarte indevido do lixo. Como sugerido, esse grupo não só em tempo ocioso, mas fazendo parte do programa,seriam responsáveis pela capacitação (alunos, comerciantes, comunidade, enfim, sociedade civil) e monitoramento dos impactos de suas atividades no meio ambiente e urbano. Ou então, dividir os grupos, um para brigadistas e outro para educadores ambientais e sociais.
    Torço para que encontrem o mais breve possível uma solução.Jacobina precisa do nosso apoio e ação.

    Muita paz!

    ResponderExcluir