Fotos : ASPAFF EM AÇÃO

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Incêndios florestais continuam no Piemonte da Diamantina

O fogo chegou ao Parque Estadual das Sete Passagens (Pesp), em Miguel Calmon, e ainda atinge outros municípios, como Jacobina e Caém

O mês de dezembro começou em chamas para os moradores do Piemonte da Diamantina. Parte do seu patrimônio natural tem sido consumido por incêndios florestais, com destaque para localidades do município de Jacobina; Miguel Calmon, onde está o  Parque Estadual das Sete Passagens (Pesp), que já teve mais de 40 hectares destruídos; Saúde e Caém (confira gravação do sobrevoo na manhã desta sexta-feira). Em Mirangaba, voluntários, brigadistas, guardas municipais e bombeiros conseguiram debelar os focos no fim da tarde de terça-feira, mas mantêm o monitoramento para evitar reignição.

Nessa quinta-feira, 17, o fogo na Grota da Dona Antônia (Pesp); na comunidade Jabuticaba, situada nos arredores da mineradora Yamana Gold, e na região da Jaqueira/Arapongas, cachoeira do distrito de Itaitu, ponto turístico da região que faz divisa com o Parque, foi controlado, mas ações de rescaldo e monitoramento permanecem.

Focos intensos ainda são vistos na comunidade Coreia (assista ao vídeo), em direção ao Piancó, e nas proximidades da famosa Cachoeira Véu de Noiva, ambas em Itaitu. Os brigadistas precisam de reforços e materiais, especialmente rastelos, enxadetes e botas. Entre Jacobina e Miguel Calmon, já são quase 800 hectares devastados pelos incêndios ou sob sua influência. A meta é debelá-los o quanto antes para iniciar o combate nos municípios vizinhos, principalmente em Caém.

Segundo o geólogo Carlos Victor Rios, que integra o Comitê de Gerenciamento de Crise, instaurado no início desta semana, em Jacobina, para implantar plano de ação emergencial contra os incêndios florestais na região, a maior preocupação é de o fogo se alastrar pelos vales, comprometendo a rica biodiversidade regional. “Também nos preocupa  a saúde das nascentes de Itaitu, que alimentam rios e cachoeiras, pois as queimadas podem  comprometer o abastecimento de água do entorno e as atividades turísticas.  Esse importante reduto ecológico pede socorro!”, alerta.

Voluntários da Associação de Ação Social e Preservação das Águas, Fauna e Flora da Chapada Norte (ASPAFF), acompanhados por brigadistas da mineradora e de Jaguarari, bombeiros, integrantes do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) - Regional Senhor do Bonfim, funcionários do Pesp, das agências Eco Sistema Adventure e Simões Turismo, Prefeitura de Miguel Calmon e Cooperativa Recicla Jacobina, além de moradores, revezam-se  no combate. Um helicóptero Esquilo com bambi-bucket (bolsa própria para armazenamento e lançamento de água) chegou à região na quarta-feira, 16, mas ainda não foi utilizado, primeiramente por problemas técnicos, em seguida, pelas condições de voo (fortes ventos), o que dificulta o transporte de mantimentos e materiais para os combatentes. A Prefeitura de Jacobina tem contribuído com a alimentação e ajudado na logística dos brigadistas e equipes de apoio, enquanto o Inema, com a doação de equipamentos.

O Ministério Público da Bahia informou, na manhã de segunda-feira, 14, que irá instaurar inquérito civil para apurar os motivos da falta de adoção de controle de queimadas, prevenção e combate em Jacobina e Miguel Calmon. O órgão já disponibilizou 25 rádios de comunicação, bem como veículos e servidores para auxílio administrativo.  As defensorias da Bahia e da União também estão em cena e ajuizaram uma ação civil pública, requerendo material e pessoal para controlar o fogo em toda a Chapada Diamantina. Dentre as determinações, estão veículos, kits de combate, apoio aéreo e brigadistas.

Segundo o promotor Pablo Almeida, é preciso que a população se mobilize e contribua mais, diante da dimensão do problema. “As principais dificuldades são de recursos materiais. Principalmente apoio aéreo com força total! Fiz questão de acompanhar o trabalho em campo para sentir as dificuldades e ter uma melhor percepção do que poderia ser mais útil. Se o bambi não conseguir bom resultado, irei judicializar, solicitando, pelo menos, dois helicópteros com esse equipamento efetivo, dois aviões e a chegada do material prometido pelo governo do estado. Vejo o esforço de todos e reconheço o heroísmo das instituições, mas o combate irá entrar na terceira semana...”, lembra.







Faça a sua parte! 
As equipes estão precisando da sua ajuda com alimentos, água, equipamentos de proteção e combate. Nos municípios de Miguel Calmon e Jacobina, as secretarias de meio ambiente estão recebendo doações. Neste último, o Ginásio de Esportes e a Universidade do Estado da Bahia (Uneb) também são pontos de coleta.

Clique aqui e participe do financiamento coletivo através da plataforma online Kickante. Ajude na prevenção e no combate aos incêndios que assolam a região. 

Turismo & Natureza 

Alguns municípios do Piemonte da Diamantina fazem parte do roteiro turístico Chapada Norte. Suas dezenas de cachoeiras, grutas, sítios arqueológicos, espaços propícios para a prática do ecoturismo e esportes de aventura, a exemplo do rapel, da escalada, do mountain bike, motocross e voo livre, atraem turistas de diversas regiões do país, bem como estrangeiros. Apesar de o turismo ainda estar se desenvolvendo na região, opções não faltam para os visitantes. Além do Parque Estadual das Sete Passagens, o distrito de Itaitu, em Jacobina, conhecida como a “Cidade do Ouro” ou “Cidade-Presépio”, é a principal escolha dos aventureiros, com seu clima bucólico, rodeado por serras e cachoeiras. A mais famosa é a Véu de Noiva: 60m de altura e ótimo poço para banho, chamada de Cachoeira do Clarindo pelos nativos, em homenagem ao antigo dono de suas terras.

Leia mais


Divulgação: Assessoria de Comunicação da ASPAFF Chapada Norte

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Bom dia, Jota! Grato pela contribuição. Já fizemos a atualização do texto. Abraços.

      Excluir